fevereiro 12, 2008

Chove


Chove! intensamente,
Chove! de modo diferente,
Chove! não parece chuva somente,
Chove! sofrido,
Chove! com o vento soprando,
Chove! parece lamento,
Chove! pranto de dor,
Não é chuva,
É choro de amor.


Chuva muito forte na cidade de SP - 12/02/2008 - 23:10
Fonte: CLIMATEMPO

Não chove só aqui, chove muito além do mar, chove bem distante, lá... onde só o poeta Jorge pode alcançar.


chove! intensamente
como se deus fosse demente
e nos quisesse afogar
não duma forma inclemente
mas invulgar.

chove!
mas não há chuva na vidraça.
é o coração que se estilhaça
numa vontade de sofrer
e faz chover.

chove e quase parece um lamento.
oxalá parasse o tempo
para morrer a chover.

6 comentários:

jorge disse...

lindo.de verdade.

se me permitires escreverei sobre isso.

um beijo.

Codinome Beija-Flor disse...

Jorge!
Meu Amigo, você lá precisa de permissâo! É claro que pode.
Bjo

jorge disse...

chove! intensamente
como se deus fosse demente
e nos quisesse afogar
não duma forma inclemente
mas invulgar.

chove!
mas não há chuva na vidraça.
é o coração que se estilhaça
numa vontade de sofrer
e faz chover.

chove e quase parece um lamento.
oxalá parasse o tempo
para morrer a chover.

Cris Moreno disse...

Esse Jorge...estou com saudades, menino, vê se aparece, heim? vá ao crisblogando.blogspot.com

Beijos.

Lindas poesias.

Menina do mar disse...

Muito bem, bela dupla! beijos aos 2!

mari disse...

E como a chuva estimula o romantismo...é real choro de amor...

Bjs

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin