fevereiro 03, 2008

Luz e Sombra


E o mar se faz carne, e a carne é uma flor de mármore na lapela da cidade. Dentro da paisagem onírica "O Sonho dos Cavalos Selvagens", de Álvaro Pacheco. O galope glauco dos hipocampos, a face heráldica dos licornes, o galope altivo dos vocábulos de raça. E entre o leito do amor humano e a nostalgia do tempo em que os deuses penetravam a dimensão dos heróis surge este cantar da imensa solidão:

na hora da dor
você está sozinho
na hora do gozo
você está sozinho
na hora da morte
você está sozinho
você está sozinho
em todas as coisas importantes
você está sozinho
em todas as conseqüências
e qualquer que seja o peso
a carga é sua e, de fato
ninguém pode lhe ajudar.

E num grito que vai dos blocos de concreto armado ao sangue de Knossos, o poeta entrega à vida a nobreza de um epitáfio:

no futuro dirão:
esse, pelo menos tentou:
caiu, tentou levantar-se
andou, tentou permanência
amou, tentou o infinito
(viveu, tentou não morrer)

(Paulo Bonfim - in "DIÁRIO DE SÃO PAULO", 11.04.67)

8 comentários:

Menina do mar disse...

Vc NÃO está sózinha!
Um beijo Amiga!

jorge disse...

adorei o texto. beijos grandes para as duas

Codinome Beija-Flor disse...

Selma,
É só o texto... só o texto.
Beijinhos

Jorge,
Ele escreve de forma maravilhosa mesmo. Beijo pra vc também.

paula barros disse...

Ai, menina, tem hora que não sei o que dizer.
Fico pensando, pensando.
Sentindo, sentindo.
Deixando as palavras se acomodarem.
beijos

Citadinokane disse...

Minha amiga,
Com o texto que postaste... sinto-me sozinho, só... sem ninguém, mesmo!
Deixe-me ir, preciso andar...
Beijos,
Pedro
P.S.: escapei do mosteiro... tenho que voltar, ok?!

Edson Marques disse...

Perfeito, puro, doce, encantante!


Flores e estrelas..

Cris Moreno disse...

Caramba, muito louco, tudo. A imagem então...que coisa bela!

Beijos.

Mari disse...

Bela a imagem Mulher...

Bjs

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin