fevereiro 12, 2008

Tom de Prata


rasga-se a manhã em tons de prata
o sol irrompe quente e majestoso
e fere um céu esmeralda tão frondoso
que vê-lo cá do chão quase me mata.

os raios vão espraiando a cor difusa
por entre os troncos verdes e rugosos
e lançam sobre os ramos sinuosos
uns braços argentinos de medusa.
.
(Jorge)
.
O "Amigo Poeta" voltou para blogosfera, espero que desta vez seja para ficar: O Outro Lado do Nada

2 comentários:

Cris Moreno disse...

Ai, este Jorge nos mata de saudades mesmo!

Vou linká-lo e já roubei uma poesia de lá, como sempre...rsrs

Beijos aos dois.

Menina do mar disse...

Consegui!!!!
rsrsr

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin