março 20, 2008

A Poesia de Paulo Bomfim


Dudu

Pra você.


4 comentários:

Cris Moreno disse...

Meu Deus, caramba...isto não é um post. É um presente. Amiga, as poesias deste poeta são demais! A última então...olha, estou encantada. Ele lembra de tudo, de todos, e até o número da casa, da rua tal...divino. soberbo. Quanta história de vida. E o nome dele é Bomfim! Vou procurar os livros dele por aqui, como pesquisa, e indicar para a Carol Jinkings, da livraria Jinkings, a aquisição das edições. Valeu! Maravilhoso!

Beijos.
Vou dormir em êxtase, como ele diz.
Obrigada.

Edson Marques disse...

Belíssima a poesia do Paulo Bonfim!


Teus comentários também levaram-me a alterar radicalmente o post do dia 19/03. Tive que citar a Cura, porque ela está contida em quem me lê.

Abraços, flores, estrelas...

blog do dudu santos disse...

sou suspeito !!mas não sou burro...é lindo!! obrigado
bjos

Menina do mar disse...

Não tenho sequer palavras para descrever o que fiquei a sentir depois de conhecer este GRANDE MESTRE! Parece-me que todos (falo enquanto mundo) temos muito ainda a aprender...
A curiosidade de ler as poesias dele aumentou depois disto !
Beijos e obrigada pela partilha!

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin