outubro 03, 2006

Votar Com Responsabilidade - 100% Alckmin


No dia 29/10/2006 haverá eleição para escolhermos o Presidente do nosso país. No momento o que se percebe, assim como em outras eleições, é a corrida pelo voto. Candidatos visitam as pessoas em suas casas (leia-se: forte aperto de mão, papo agradável, promessas...); rádios, jornais e programas de televisão nos colocam a par do programa político dos candidatos.
Apesar de tanto empenho por parte dos candidatos, o clima no ar não é de entusiasmo, mas de desconfiança da parte de uns, de indiferença, da parte de outros, ou de desilusão da parte de terceiros.
Votar – tempo perdido?
Já ouviu falar que quem não participa não tem direito a reclamar? Digo mais: quem não participa com responsabilidade do processo eleitoral é culpado por omissão! Omissão essa que vem em seu prejuízo, assim como em prejuízo de muitas outras pessoas. Ao omitir-se de votar com responsabilidade, você se anula enquanto cidadão e cidadã e, principalmente. Mesmo depositando seu voto na urna (em tempos modernos, digitando) o número de seu candidato você pode estar se omitindo quando seu voto for:
· Voto nulo – Aquele que você rasura ou anula marcando mais de um candidato. Descaso? Indiferença? Decepção?
· Voto em branco – Aquele que você se dá ao trabalho de ir até à urna para... Não escolher ninguém. Protesto? Pretexto para não se sentir culpado/a se o candidato escolhido não cumprir com o que prometeu?
· Voto por interesse – Quando você vota pensando nos benefícios individuais que aquele candidato lhe trazer.
· Voto comprado – Não há como negar. Você já foi beneficiado/a, de alguma forma, e agora está retribuindo a “gentileza” através de seu voto.
Votar não é “pouca coisa”. Votar é um direito e um dever de cada pessoa comprometida. Através do voto responsável, escolhemos aquelas pessoas que, por algum tempo, deverão estar a serviço da comunidade.
O exercício de uma política séria e comprometida com o bem-comum certamente é do agrado de Deus. Como está escrito no Salmo 82: “Defendam os direitos dos pobres e dos órfãos, sejam justos com os aflitos e os necessitados. Socorram os humildes e os pobres e os salvem do poder dos maus”.
O nosso voto, pequeno, se visto numa ótica individual, mas capaz de gerar uma nova sociedade, se visto no coletivo, é um instrumento ímpar na busca por uma sociedade mais justa, através de lideranças que zelam pelo bem-comum.
Sejamos, pois, responsáveis na escolha de nosso candidato, bem como zelosos/as, críticos/as e solidários/as junto àqueles e àquelas que foram eleitos por nós.

Um comentário:

J@de disse...

E depois vem dizer que não escreve bem... é ruim!! hehehehe!!
É isso aí!! Eu adoro votar (afinal, sou filha da ditadura) e tento ser consciente...
Beijos!!

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin