janeiro 19, 2007

Borboletas

Sempre tive fascinação por borboletas e depois de ler a crônica da Bibi fiquei ainda mais encantada com as elas.

Tão leve e frágil a borboleta...
Baila no espaço ao sabor do vento...
Voa cada vez mais alto em busca da luz...
Entrega-se ao vento e mergulha confiante,
em busca da flor mais delicada, do perfume mais suave...
Sente o sabor da liberdade, do momento presente,
onde ela é tudo que pode ser...
Deixou para trás seu passado rastejante e
hoje ousa vôos cada vez mais altos...
De lagarta à borboleta....jamais de borboleta à lagarta...

5 comentários:

Emilia disse...

Também adoro borboleta, tão leve, frágil e colorida, voando de flor em flor... uma beleza!
Bjos.

jorge disse...

voltei a escrever no meu blog e deixei por lá um poema que espero que goste.É-lhe dedicado.

um beijo amigo.

J@de disse...

Ai eu também adoro as borboletas... quando era pequena e ia na casa de minha tia ficava procurando por elas o tempo todo!!
Lindo texto!!
Beijos!!

Bibi Smith disse...

Esfinge, obrigada pela menção honrosa! É um texto muito especial para mim, bom saber que agradou!
Um beijo!

Segredos da Esfinge disse...

Bibi,
Não há o que agradecer, é lindo mesmo.
Bjos

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin