janeiro 28, 2007

Contorcionista

A vida pede contorções exageradas.
Preciso vergar e não quebrar.
Mesmo que pareça difícil,
a vida é grande espetáculo.

5 comentários:

Curioso disse...

Esfinge,
Embora sem saber de fato quem é, e como é. Quando aqui venho e leio seus posts, imagino uma mulher como na música DONA.

Dona - Roupa Nova
Composição: Sá & Guarabyra

Dona desses traiçoeiros
Sonhos, sempre verdadeiros
Oh Dona desses animais
Dona de seus ideais
Pelas ruas onde andas
Onde mandas todos nós
Somos sempre mensageiros
Esperando tua voz
Teus desejos, uma ordem
Nada é nunca, nunca é não
Por que tens essa certeza
Dentro do teu coração
Tan, tan, tan, batem na porta
Não precisa ver quem é
Pra sentir a impaciência
Do teu pulso de mulher
Um olhar me atira à cama
Um beijo me faz amar
Não levanto, não me escondo
Porque sei que és minha
Dona...
Dona desses traiçoeiros...
Sonhos sempre verdadeiros...
Oh Dona desses animais
Dona de seus ideais
Não há pedras em teu caminho
Não há ondas no teu mar
Não há vento ou tempestade
Que te impeçam de voar
Entre a cobra e o passarinho
Entre a pomba e o gavião
Ou teu ódio ou teu carinho
Nos carregam pela mão
É a moça da cantiga
A mulher da criação
Umas vezes nossa amiga
Outras nossa perdição
O poder que nos levanta
A força que nos faz cair
Qual de nós ainda não sabe
Que isso tudo te faz
Dona, Dona...

Com respeito.
Curioso

jorge disse...

gostei do que o curioso disse. axei curioso...

beijo

Blanche disse...

O difícil está muito longe de ser impossível e por vezes, repentinamente, torna-se fácil :)
Um abraço, Segredos!

Bibi Smith disse...

Esfinge,

parece clichê dizer mas a vida por vezes é mesmo um circo. Somos domadores das adversidades, palhaços para fazer rir aqueles que amamos e estão tristes, mágicos para fazer desaparecer toda a dor e sofrimento, contorcionistas para desviar das amizades ruins e equilibristas para conciliar todas essas funções.
Força, amiga, porque vergar é que é a virtude primordial.
Um beijo!

Segredos da Esfinge disse...

Curioso e Jorge,
Ih! de fato até eu achei curioso.
Abraços

Blanche,
É assim que penso, o impossível só terá vitória se acharmos de fato impossível, não é? Para o "impossível" não há espaço em minha vida.
beijos

Bibi,
Me comoveu seu comentário, quanta sensibilidade. Só quem viveu ou vive como um artista de circo pode compreender o que você descreveu aqui. Obrigada pelo carinho, pelo comentário e pela "Amiga".
beijinhos

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin