janeiro 04, 2007

Temporada Teatral

Infelizmente a dica é só para quem mora em São Paulo.
Janeiro é a melhor época do ano para ir ao Teatro , ainda mais agora que a cidade anda calma.
É o momento para aproveitar. As peças estão um "Must".

Segue:

*Antes do Baile Verde

Conto de Lygia Fagundes Telles ganha versão teatral com cenografia e direção de Paulo Marcello
Data(s):6 de janeiro a 11 de fevereiro.
Local: Centro Cultural São Paulo - Sala Jardel Filho
Capacidade: 324 pessoas
Endereço: Rua Vergueiro, 1000
paraiso - Centro - 3277-3611
Preço(s): R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia entrada).
Horário(s): sexta e sábado, às 21h e domingo, às 20h.
Com encenação da Cia. Razões Inversas, a primeira adaptação teatral do conto Antes do Baile Verde, de Lygia Fagundes Telles.
Lulu Pavarin vive Lu, que antes de encontrar seu homem para brincar o Carnaval, ajuda Tatisa (Tatiana Caltabiano) a se preparar para a folia, enquanto seu pai está entre a vida e a morte. A história aborda a importância do Carnaval para o povo brasileiro e a universal insatisfação humana. Durante o espetáculo são projetadas imagens carnavalescas de diferentes décadas do século 20 e reproduções de telas de Di Cavancanti.
Ficha Técnica:
Texto - Lygia Fagundes Telles.
Adaptação do texto - Valderez Cardoso Gomes.
Direção, trilha sonora e cenografia - Paulo Marcello.
Elenco - Lulu Pavarin e Tatiana Caltabiano.
Supervisão artística e desenho de luz - Marcio Aurelio.
Assistência de direção - Fabio Novello.
Figurino - Carol Badra.
Sonoplastia - André Luiz Leme.
Produção executiva - Cássia Andrade.
Preparação corporal - Alex Raton.


*O Avarento

Paulo Autran encena sua 90ª montagem com direção de Felipe Hirsch
Data(s): 04 de janeiro a 29 de abril.
Local: Teatro Cultura Artística - Sala Esther Mesquita
Preço(s): R$ 30,00 a R$ 80,00.
Horário(s): quinta, sexta e sábado, às 21h, domingo, às 18h.
Em cartaz no Teatro Cultura Artística, a comédia O Avarento traz Paulo Autran em sua nonagésima montagem.
Na trama, o jovem Valério é apaixonado por Elisa, filha de Harpagon, o avarento, mas tem que manter em segredo seu amor porque conhece o caráter egoísta, cruel e interesseiro do pai de sua amada. Para piorar, ela é prometida a um homem que não conhece e não ama, sendo obrigada a renunciar ao seu amor.
A peça conta a tragédia do avarento, obcecado por valores superficiais. Em uma caixa enterrada no jardim, além das suas adoradas moedas, Harpagon sufocou também todos seus valores e princípios éticos perdidos. Não consegue enxergar a felicidade tão próxima dele no amor dos filhos e respeito dos amigos. É uma triste figura dominada pelo medo e por uma ambição vazia que o levará à infelicidade e solidão.
Ficha técnica:
Tradução e Adaptação: Felipe Hirsch.
Direção: Felipe Hirsch.
Elenco: Paulo Autran, Elias Andreato, Karin Rodrigues, Gustavo Machado, Cláudia Missura Arieta Correa, Luciano Schwab e Tadeu Di Pyetro.
Cenografia: Daniela Thomas.
Figurinos: Daniela Thomas e Veronica Julian.
Iluminação: Beto Bruel.
Trilha Sonora Original: Rodrigo Barros Homem Del Rei e L.A.Ferreira.
Projeto Gráfico: Bum Design.
Fotos: Priscila Prade.
Produtor: Germano Soares Baía.

*A Casa dos Budas Ditosos

Obra de humor e erotismo é adaptação de livro homônimo de João Ubaldo Ribeiro
Data(s): 09 de janeiro a 06 de fevereiro.
Local: Teatro Cultura Artística - Sala Esther Mesquita (INFORMAÇÕES)
Preço(s): R$ 30 a R$60 (com meia-entrada para estudantes, aposentados com mais de 60 anos e sócios da Sociedade Cultura Artística).
Horário(s): terça e quarta, às 21 h.
Observações: Classificação etária: 18 anos.
Humor e erotismo se encontram na volta de Fernanda Torres aos palcos de São Paulo com a nova temporada de A Casa dos Budas Ditosos, de João Ubaldo Ribeiro.
Na montagem, a atriz interpreta uma libertina baiana de 68 anos que detalha as incontáveis experiências sexuais que teve ao longo da vida. Durante noventa minutos conta histórias de uma mulher que deseja dizer ao mundo que ousou cumprir sua vocação libertina e foi feliz. Em cena, a atriz recorda as peripécias dessa mulher, contadas com muito humor numa espécie de palestra sobre o assunto.
Ficha Técnica:
Com: Fernanda Torres.
Direção e adaptação: Domingos de Oliveira
Direção de Arte: Daniela Thomas.
Iluminação: Wagner Pinto.
Direção de Produção: Carmen
Mello.
PS: O Livro é fabuloso, vale a leitura.

Um comentário:

J@de disse...

Eu quase não vou no teatro é caro demais, fico triste pq eu adoro!!
A mais recente peça que vi foi Cauby, Cauby, paguei 10 "real" heheheh!!

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin