abril 08, 2007

Encontros e Despedidas

A blogosfera é mais real do que imaginava.
Grande engano o meu.
Pensei que esse modo virtual de conhecer pessoas pudesse me protege dos sentimentos de carinho.
Pedro ... blogueiro dos bons acaba de partir.




Mande notícias do mundo de lá
Diz quem fica
Me dê um abraço, venha me despertar
To chegando
Coisa que gosto é poder partir
Sem ter plano
Melhor ainda é poder voltar
Quando quero
Todos os dias é um vai e vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai e quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar
E assim
Chegar e partir
São só dois lados da mesma viagem
O trem que chega é o mesmo trem
Da partida
A hora do encontro é também
Despedida
A plataforma dessa estação
É a vida desse meu lugar
É a vida desse meu lugar
É a vida

(Milton Nascimento/ Fernando Brant)

4 comentários:

Citadinokane disse...

Esfinge,
Retomo o trampo, fora as aulas que ministros na faculdade de direito, e é o tipo de atividade que vai me exigir um tempo maior de atenção e estudo também.
Adentrei a tua casa sem pedir licença, ficava as vezes ali no cantinho da sala sentado como um Buda, descansando e conhecendo-te um pouquinho mais, as alegrias e tristezas... tudo esparramados no chão, ali nos quartos e cozinha... Bebi de tua água cristalina, a bondade que irradias no ambiente virtual.
Tudo muito belo, por isso estou aqui te agradecendo, uns vão e outros, com certeza, virão...
Uma coisa é certa, um dia a gente volta a se encontrar...
Beijos e obrigadoooooo!!!
Pedro

Andorinha... disse...

Linda música.
Maravilhosa interpretação.
Ganhei meu dia!
Bjs.

J@de disse...

É mesmo uma pena... mas quem sabe ele de vez em quando dê o ar da graça...

Mari disse...

Segredos da Esfinge,

O Pedro é mascarado. Ele vai postar sim, nem que seja na marra, rsrsrs

Bjs

Mari

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin