abril 13, 2007

Fogueira

Certa ocasião fui questionada sobre o que faria com minha fogueira.
E pensei por um bom tempo...
Pensei em me tornar um cubo de gelo e deixar a fogueira acabar e ver dela apenas as cinzas.
Refletindo melhor decidi que é necessário manter uma chama sempre, até mesmo para manter aquecido meu coração.
Não se pode perder o prazer pela vida, mesmo quando a fogueira não estiver queimando com grandes labaredas, hei recordar o quanto já fui envolvida pelo fogo. Fogo que provoca sentimento contraditório, tão quente que me faz tremer.
Para uma fogueira é necessário: Lenha

Eu não sei dizer
O que quer dizer
O que vou dizer
Eu amo você
Mas não sei o que
Isso quer dizer
Eu não sei porque
Eu teimo em dizer
Que amo você
Se eu não sei dizer
O que quer dizer
O que vou dizer
Se eu digo pare
Você não repare
No que possa parecer
Se eu digo siga
O que quer que eu diga
Você não vai entender
Mas se eu digo venha
Você traz a lenha
Pro meu fogo acender
Mas se eu digo venha
Você traz a lenha
Pro meu fogo acender
(Zeca Baleiro)

3 comentários:

Andorinha... disse...

Tão quente que me faz tremer...
Lindo, Esfinge.
Beijos!

J@de disse...

Essa é uma das minhas músicas preferidas, principalmente quando Zeca Baleiro canta...
É preciso manter a chama acesa, vai que de repente alguém bota lenha nela né?
Beijos!!

Mari disse...

Segredos da Esfinge.

Esta música faz-me lembrar de alguém muito especial que enviou-me o trecho da mesma. Boa lembrança.

Abraços

Mari

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin