novembro 23, 2007

Escrever Um Livro..................Plantar Uma Árvore.......................Ter Um Filho


É isso?

Depois podemos morrer?

NÃO!

Eu comecei exatamente pelo modo contrário:

- Primeiro tive minha filha - 1.996
- Depois plantei uma árvore (pau-brasil) - 2.000
- Por fim, escrevi um livro - 2.002 (registrei na biblioteca nacional e nunca publiquei)

Qual dessas foi a minha mais completa arte?

A maternidade reune todos os atos, transformando... num só.
Gerar um filho, é sentir o germinar da semente da árvore da vida, que vai desabrochando lentamente dentro do ventre.
Ter um filho é escrever no livro sagrado, onde ficará registrado por toda a eternidade cada passagem, cada momento, cada dia, cada mês, cada ano, um livro sem correção, uma edição especial e única.
E, quando olho para para minha filha, vejo que fui terra fértil, floresceu e frutificou minha árvore, meu fruto.

Tudo isso não basta, porque a vida, só é vivida... se houver :
UM GRANDE AMOR.

7 comentários:

Edson Marques disse...

Belíssimo texto!

Parabéns pelas três coisas!


Abraços, flores, estrelas..

Tozé Franco disse...

Gostei de ler o que escreveu. Também quando olho para a minha filha, posso ver nela um livro que comecei (eu e a minha esposa) a escrever e que há-de continuar a ser escrito por ela.
Um abraço

Mari disse...

Belos escritos, amiga.

Ah! O amor, o amor...

Não podemos viver sem ele.

Bjs

Edson Marques disse...

Obrigado, mesmo, obrigado muito! pelo comentário que você deixou ontem no blog Mude!


/// Abraços, flores, estrelas..

Joana disse...

Concordo! Linda definição de maternidade! :)
Bjinhos

Rubina disse...

Pois é. É essa mesmo a cereja no topo do bolo :)

Nabel Braz disse...

Belissimo!

Abraços de luz

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin