setembro 18, 2008

Ao Mestre Com Carinho


Parece que foi ontem...
Foi em 1980, eu só tinha 10 anos, eu estudava num colégio, minhas irmãs em outro.
Meu pai (era) absurdamente severo, nunca nos deixava ir aos passeios da escola.
Só que daquela vez foi "vencido" ou "cedeu" ao discurso enfático do professor de português das minhas duas irmãs mais velhas. Também, o professor foi até nossa casa (meu pai não tinha assinado a autorização do passeio), não faço idéia do que tanto aquele homem de estatura mediana, de bigode, calvo, aparentando uns 40 anos (nem sei se eu tinha idéia de quanto anos uma pessoa aparentava), não era bonito, mas era muito elegante e perfumado (quando descobri o que era perfume e as marcas deles, logo recordei o perfume do professor "Azarro").
Impressionante o poder de persuasão do mestre, minhas irmãs foram ao passeio.
O tempo passou... dois anos depois lá estava ele na minha frente na sala de aula (eu mudei para o mesmo colégio das irmãs), o professor temido por todos os alunos, um grau de exigência desconhecido em colégio público, não durou muito o nosso convívio, pois nossa família foi para Sergipe (moramos lá durante nove meses).
De volta à S.Paulo em Janeiro de 1.983 fomos morar novamente no mesmo bairro, voltamos ao mesmo colégio. Eis que novamente adentra a sala de aula, uma memória impressionante, em menos de 3 minutos me chamou pelo nome completo (como fazia com todos os alunos) perguntou pela minha família (claro que pelo nome completo de cada um: "O Sr.... a Sra... e as suas irmãs ..., .... e ....".
Mal sabia ele... que eu não gostava muito dele não, ele falava pelos cotovelos, só faltava nos matar com tanta matéria (raro o aluno que gostava dele de primeiro momento), como falei acima, ele tinha um poder de persuasão muito forte, logo conquistava 98% dos alunos (os outros 2% odiavam mesmo), também aprendi a admirar aquele professor, com jeito de Visconde de Sabugosa e Grilo Falante.
Definitivamente dominava a Nossa Língua Portuguesa semelhante ao Professor Pasquale, na verdade muito além.
Eram tantos os cuidados com os alunos que não lembro de outro professor igual.
Alguns exemplos:
- Cuidava da nossa postura na cadeira
- Como devíamos segurar a caneta.
- Meninas de perninhas fechadas
- Meninos (as meninas sempre primeiro)
- Tom de voz
- Jogar papel no chão era quase crime inafiançável
- Dizer: "Pra mim fazer" era um sermão daqueles
... tantas outras coisas.
São tantas as lembranças, tantas as histórias que eu levaria muito tempo para escrever e essa postagem (viraria um livro).
Ele acompanhou ao longo desses anos nossos (as): formaturas, casamentos, nascimentos dos filhos, aniversários, conquistas e fracassos.
Tornou-se amigo da família, não esquece uma aniversário, natal, dia da mulher...
São 28 anos de "professor/amigo".
Hoje me ligou para anunciar sua aposentadoria (oficialmente confirmada/publicada no Diário Oficial).
Vai comemorar com alguns alunos num jantar (sem data certa ainda).
Passou um filme pela minha cabeça, falamos do "Jornal da Escola", de alguns colegas da minha turma, ainda me lembro de tantos nomes e apelidos, tempo bom que não volta mais.
Pena que não aprendi tudo que ele ensinou e esqueci quase tudo tantas regras gramaticais.
Ele morre se ler esse blog e ver a quantidade de erros.
Mesmo assim, fica aqui meu abraço Ao Mestre Com Carinho.

5 comentários:

edson marques disse...

Eu também tive um professor assim. Aliás, dois.

E morro de saudades deles!

Foram mestres.

Você já leu meu poema aos Professores?


Abraços, flores, estrelas..

Menina do mar disse...

É minha querida Amiga, felizmente há pessoas que não passam nas nossas vidas... Ficam!
Um beijo gigante!

edson marques disse...

Eis o poema sobre os professores (no link):

Emília disse...

Tomara que eu tenha deixado boas marcas em meus alunos também,e que eles falem do nosso tempo juntos como 'um bom tempo'. Lindas as suas memórias do seu 'Mestre'.

Allan disse...

Adoro histórias. Bem vc sabe disso pq já desbravou minha alma no msn. Espero que vc n ligue a falta de cronologia nos meus comentários. Tenho o hábito navegar sem precisão de tempo. Beijos, Boa Semana e que Deus abra alguma portinha pra vc expressar com mais eco tuas idéias. Vc não sente as vezes que esse blog tá ficando pequeno pra vc?

!!!Beijão!!!!

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin