outubro 11, 2010

Tantos Dias Passaram

O tempo teima em correr muito além de mim.
O tempo tem passado rápido demais.
O tempo corre e tem me faltado tempo.
Falta tempo para vir aqui.
Pois o tempo corre e já não sei qual a prioridade do tempo.
Quisera eu ter o poder de tomar rédeas do tempo e poder segurá-lo em minhas mãos.
Mas o tempo tem pressa.
E, ai de quem não se apresse, não há de ver o tempo não.
Uma coisa é certa, meu dia não tem mais vinte e quatro horas.
O tempo tem abreviado meus minutos, cada hora passa como fosse apenas um segundo.
Vim aqui contar tudo o que se passou nos últimos tempos.
Porém, já me falta o tempo, pois é chegado o momento de correr atrás do tempo.
Fica aqui; alguns momentos do tempo em que perdi a noção do tempo.
Mas... resta-me ainda o sentimento de que o tempo virá ao meu favor.
Haverá o tempo, que hei de amar sem fim.

3 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Oi lindíssima! Como você anda sumida... rs

Adorei ler sua loucura de amor... eheheh... já fiz algumas assim do bem, aquela que só traz coisas boas...

Quanto a tempo, eu te entendo. Simplesmente uma bruxa me jogou um feitiço que rouba o meu tempo, só pode ser isso, porque de uma hora pra outra fiquei num corre pra lá e pra cá sem parar...

Sinto falta da minha vida mais tranquila. Mas consigo identificar alguns pontos que podem estar contribuindo pra isso...

Beijocas

Garota Misteriosa disse...

Escrevestes isso para mim!!!

Sinto estas mesmas coisas, o tempo a cada dia tem se tornado inimigo, não consigo decidir a tempo o que eu quero, pois quando olho não tenho mais este tempo. Cheia de dúvidas incertezas... O tempo não espera isso.

Abraços :)

Jorge disse...

quando eu era grande esquecia o amor
perdia-me em formulas, destilava saber
e subia aos palcos sem me estremecer
sem voz embargada, sem qualquer rubor.

quando eu era grande conhecia o mundo
enumerava reis e brincava às embaixadas
e sabia que o mar é imenso e profundo
e que as suas areias são praias douradas.

quando eu era grande desconhecia o tempo.
mas um dia tornei-me pequeno, e foi então
que escutando só a voz do coração

deixei escorrer o tempo pela fresta
que espia circunspecta a noite escura
e ardi, como um poeta, de loucura
sentindo na garganta tal secura
que amar é tudo aquilo que resta.

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin