dezembro 01, 2006

Duas Formas de AMAR

Recebi um e-mail lindo da minha AMIGA que mora longe.
Ontem, nos falamos novamente pelo MSN, nem senti o tempo passando.
Quando abri o e-mail, vi as imagenss, li a letra e ouvi a música.
Lendo a letra, percebi que ela cabe em duas formas de "AMAR".
Podemos ouvir e lembrar do AMOR homem/mulher.
Mas, nos slides que acompanhavam o e-mail da minha AMIGA, para cada frase havia a imagem de um criança, um monte de criancinhas lindas.
Tem uma parte que diz: "É isso aí...Há quem acredite em milagres. Há quem cometa maldades. "
E, associei a forma do AMOR maternal/paternal. "Eu não sei parar de te olhar. Não vou parar de te olhar. Eu não me canso de olhar." Eu não me canso de olhar para carinha linda da minha filhotinha amada, só o fato de lembra da existência dela, vejo que acredito em Milagres.
(duas formas de amar para esta letra aqui,
são tantas às formas de amar)

2 comentários:

Anônimo disse...

De amor e de amizade você entende.

Emilia disse...

Nossos filhos são milagres, nossos amigos são milagres. Eu acredito nisso.Música linda, imagens, formas, gestos cheios de sentido, toda beleza é milagre também.Poder sentir tudo isso é milagre...
Abraços são milagres também, de certa forma.Você entende.

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin