maio 29, 2007

O Frio Lá Fora


O inverno vem chegando,
O frio está lá fora,
Alguns passam desfilando,
Com casaco e estola.


E o frio vai abraçando,
O pobre, o rico, o negro, o branco,
E eu fico pensando,
Quem me aquecerá agora?


Não quero me enrolar num mantô,
Nem quero o calor da lareira,
Quero o calor da tua boca, do teu peito,
Que me acendem e aquecem mais que fogueira.

9 comentários:

Menina do mar disse...

É Esfinge, o Inverno a chegar aí e o calor a começar ainda por cá...
O mundo é mesmo uma coisa linda não é?
Um beijinho, Lindo poema, adorei!

crisblog disse...

Ei amiga...não é "pobre"?...vá lá..dê uma olhadinha...

Você tá que tá, heim?...

Estava com saudades.

Beijos.

J@de disse...

Ai que linda!! Tá inspirada heim nega?
O que eu mais queria agora era alguém me aquecendo também... por enquanto só posso contar com o edredon!! hehehehe!!
Beijos!!

Segredos da Esfinge disse...

Menina do Mar,
O mundo é mesmo fantástico e tem seus encantos.
Que bom que gostou.
Beijinhos


Cris,
Já tá arrumadinho agora (hehehe foi o frio).
Beijos


Jade,
Não vai ser o frio que vai congelar as emoções (hehehe).
Mas é bom ter sempre um edredon por perto também.
beijinho

Mari disse...

Esfinge,

E que calor este. É o melhor aquecimento...

Bjs

Osc@r Luiz disse...

Muito frio por aqui também Esfinge...
Apareça!
Sua presença ameniza essas coisas que incomodam.
Beijão!

Edson Marques disse...

O calor da carne e da alma do outro é que nos aquece de verdade!




Abraços, flores, estrelas..

simaocireneu disse...

Nossa, Esfinge! Que picante! Pareceu-me ver uma página do Kama-Sutra transliterada! Parabéns pela inspiração, e que V. consiga se "aquecer" mais vezes!
Amplexos do Cireneu!

Segredos da Esfinge disse...

Mari,
é o melhor sim.
Bjos

Oscar,
apareço sim.
Bjo


Edson,
esse é mesmo de verdade.
Abraços

Cireneu,
Toda inspiração vem do estado em que nos encontramos e quando a alma é bem aquecida nos ajuda a dizer um pouco o que sentimos.
Abraços

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin