junho 09, 2007

Seus Olhos


Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
De vivo luzir,
Estrelas incertas, que as águas dormentes
Do mar vão ferir;
Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Têm meiga expressão,
Mais doce que a brisa, - mais doce que o nauta
De noite cantando, - mais doce que a frauta*
Quebrando a soidão*,
Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
De vivo luzir,
São meigos infantes, gentis, engraçados
Brincando a sorrir.
São meigos infantes, brincando, saltando
Em jogo infantil,
Inquietos, travessos; - causando tormento,
Com beijos nos pagam a dor de um momento,
Com modo gentil.
Seus olhos tão meigos, tão belos, tão puros,
Assim é que são;
Às vezes luzindo, serenos, tranqüilos,
Às vezes vulcão!
Às vezes, oh! sim, derramam tão fraco,
Tão frouxo brilhar,
Que a mim me parece que o ar lhes falece,
E os olhos tão meigos, que o pranto umedece
Me fazem chorar.
Assim lindo infante, que dorme tranqüilo,
Desperta a chorar;
E mudo e sisudo, cismando mil coisas,
Não pensa - a pensar.
Nas almas tão puras da virgem, do infante,
Às vezes do céu
Cai doce harmonia duma harpa celeste,
Um vago desejo; e a mente se veste
De pranto co'um véu.
Quer sejam saudades, quer sejam desejos
Da pátria melhor;
Eu amo seus olhos que choram sem causa
Um pranto sem dor.
Eu amo seus olhos tão negros, tão puros,
De vivo fulgor;
Seus olhos que exprimem tão doce harmonia,
Que falam de amores com tanta poesia,
Com tanto pudor.
Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Assim é que são;
Eu amo esses olhos que falam de amores
Com tanta paixão.

(Gonçalves Dias)
.
.
*Frauta: Forma mais antiga do que Flauta, mas que ainda em nossos dias é usada
*Soidão: Solidão; é, como soidade por soledade, forma arcaizada, mas encintrada ainsa nos românticos.

6 comentários:

crisblog disse...

Ah! se os seus olhos pudessem ver a minha alma...seria tudo mais fácil e doce...

Beijos.

Lifepassenger disse...

Não fiquei nada chateado... A sério, que não! Aproveito por agradecer a visita ao meu blog e te endereçar os parabéns por este belo Post!

Mosana disse...

oooooooooooooooooooo
qnd eu crescer quero saber escrever assim!!
lindo!!
bjs

J@de disse...

Lindo poema!!
Beijos!!

Anônimo disse...

Conheço...eu sei que sim!

Olhos tão lépidos matreiros que morrem de medo de serem vistos à vista de alguém.

Oh! Que lindos que são!

Serão seus?

Serão meus?

Nuari

Emilia disse...

Eu não conheço o poeta mas os versos são lindos.
bjos

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin