abril 01, 2008

Café Com Leite

Se encontraram e se cruzaram
Nosso olhar e nosso jeito
As salivas misturadas
Num sabor mais que perfeito
Nossos corpos se entregando
Como boca no sorvete
Estamos bem misturados
Tal e qual café com leite
...

(Composição: Martinho da Vila / Zé Catimba)

7 comentários:

Sombra do Sol disse...

Olá boa noite, passando por blogs de amigos deparei-me com o seu, e aqui estou faz um bom tempo lendo sua página, que por sinal de muito bom gosto, muito bem elaborada, parabéns!! Dos sonetos, as poesias o pensar sobre o amor virtual, até o café com leite. Se analisar direitinho é um excelente convite, tudo na mais perfeita harmonia e combinação. A linguagem dos sinais, seria nosso teclado? Os poemas e sonetos uma declaração de amor? As flores seria uma forma de agrado à pessoa amada? E aí seu texto chega falando do amor virtual. Nesse vou deter-me um pouco, antes de tomar o café. Pois acho perfeitamente possível sim, já compartilhei a mesma opinião sua no passado, e hoje depois de ter vivido dois, que por sinal foram ótimos, só guardo boas recordações, se tiver oportunidade conto a historia no meu blog, parece ser uma coisa absurda não é mesmo? No momento em que usamos um teclado, não se comparam aos abraços trocados ao longo de nossas vidas, porém tem um sabor doce como o da fruta madura, suculenta e que nos saciam a fome, a sede e desperta em nós o gosto pelo dar e receber sem saber a quem, porque ninguém tem rosto, não conta o ter e sim o ser. Esse mundo tão abstrato e ao mesmo tempo tão real faz surgir em nossas vidas laços com traços fortes, traçados pelo coração, ditados pela vontade de ser a diferença na vida de quem está tão distante e ao mesmo tempo tão perto. Nesse mundo, onde a beleza que conta é aquela que vem da alma e pode ser purificada pelo amor e carinho que recebemos e dedicamos. Neste mundo, onde só conta eu saber que as pessoas existem e está ali esperando por uma palavra amiga, um gesto, sem pedir, sem cobrar. É essa troca que nos faz tão pequenos e ao mesmo tempo tão gigantes na emoção. Desculpe ter feito um comentário tão longo. Ofereço a você a minha admiração, meu respeito e minha amizade. Abraços

Menina do mar disse...

hum.... que delicia...rrsrsrsrrs

Cris Moreno disse...

Huuummmm....adoro café com leite!

Beijinhos.

vivi disse...

Esfinge,
Vc está arrasando nas músicas, menina.
Quer me endoidecer? rs...
Vou ler seu post agora, peraí.
bjs.

aminhapele disse...

Olá!
Continua a ser bom visitar o seu espaço.
Tenho mais notícias do Rio,no PEDECABRA.
Dê uma leitura na postagem "Meu caro amigo".
Um abraço.

J@de disse...

Hum... me deu uma saudadinha do negão... hehehehe!!
Beijos!!

Mari disse...

Ah! Café com leite. Adoro toda tarde acompanhado de um pãozinho com manteiga, hummmm...

Bjs

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin