abril 27, 2008

Dores

Como tratá-las, como senti-las?
Depois de conviver por uma semana com uma dor como companheira, fui percebendo que aos poucos ela já não me assustava tanto. Se era atenção o que ela queria, teve toda minha atenção nos últimos dias. Ela quase não se faz presente, mas ainda dói.
No primeiro momento quase que vivi só pra ela, segundo o médico eu deveria ficar de licença no trabalho por uns dias, mas eu pensei; "Essa dor merece mesmo toda minha atenção?"
Não merecia, ficar uma semana afastada do trabalho, só me geraria um tumulto na semana seguinte, muito mais trabalho, muito mais dor de cabeça.
Convivi com ela e ela comigo.
Porém, há outra dor que não se cura com prescrição médica. Que pede atenção e requer cuidado.
Dor que se sente sabendo exatamente o motivo, dor que não acalma, dor que não se cala, dor que não tem tempo de previsto duração, dor que independe de remédio, dor que só o tempo sabe a cura. A dor dói em quem a sente.

7 comentários:

Verbo Amar disse...

Espero que você ache seu remédio o mais rápido possível.

O santo remédio para aquela "dor".

Dama de Cinzas disse...

Ainda bem que a dor física tá indo embora! Já a da alma, do coração, essas demoram mesmo!

Não consigo te ver uma semana de licença longe do trabalho... rs

Beijos

Menina do mar disse...

Fico feliz que esteja melhor!
Quanto à outra dor... bem, vc vale muito mais que ela basta lhe dar tempo que ela passará (pena que não passe numa semana também)!
Beijos e boa semana!

Bianca Rieth disse...

a dor é sentida para aqueles que vivem!!

muito bacana teu blog, parabéns!!

beijos!!

blog do dudu santos disse...

dores...dores...são terriveis, sei do que fala...mas passam, e aquela outra que minha sensibilidade sabe o que , também passa...tempo... e a sorte de encontrar uma pessoa, uma energia. uma ponta de lingua com um grande ser atrás
beijo minha querida

J@de disse...

Não há analgésico que cure as dores do coração... infelizmente!!
Beijos!!

mari disse...

Esse espeto dói amiga.

Te desejo um bom feriado e um maravilhoso fim de tarde...

Bjs

Mari

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin