abril 03, 2008

Moda de Sangue

Quando te prendo
Na cadeia dos abraços
E te torturo
E te sufoco entre meus braços

E te fuzilo
Com os olhos do desejo
E mordendo
No gosto do meu beijo

Quando te arranho
Te lanho de delícia
Vertendo sangue
Do teu corpo de malícia

Quando te xingo
Com palavras obscenas
Como jurasse
As juras mais serenas

Quando me vingo
Dos males que me fazes
Com frases
De maldade e veneno

Sinto meu amor
Que o amor é isso
Essas coisas
Muito fora de juízo

(Composição: Ivaldo Roque / Jerônimo Jardim)

6 comentários:

citadinokane disse...

É moda de sangue, esses tempos tão cinzentos...
Fica aqui o meu abraço e o desejo de muita paz em tua vida.
Beijos,
Pedro

Hellen Rêgo disse...

De vez em qdo passo aqui p ver o q vc anda aprontando, hehehe
Mas sempre me vejo sem palavras diante do que vejo por aqui.:)
Mt Bom!
bjinhos menina.

vivi disse...

Isso!
Isso!
Isso...!!!!
Que linda esta música, hein.......................................
bjs, querida!

blog do dudu santos disse...

Estou gostando de sua postagens!!acho que esta cada vez mais perto do grito do teu ser...tudo são símbolos de nós mesmos, quando temos coragem de exibi-los, encostamos perto das respostas..
bjo minha querida flor-beija
dudu

Cris Moreno disse...

Caramba, só senti falta do chicote...do sangue...ah! ... rsrs

Beijos.

Codinome Beija-Flor disse...

Pedro.
A gente compra um estojo daqueles bem grandes de canetinhas (igualzinho das nossas filhotas), e vamos pintando esse cinza (mesmo que seja só pra dar uma enganadinha na vida), ando cansada do cinza.
Trata de deixar seu blog lá no canto dele bem direitinho, nada de abandonar a blogosfera.
Cuida desse coração.
Bjo

Hellen,
venha sempre, com ou sem palavras.
Bjos

Vivi,
Isso, isso, isso, isso (risos), ouvi tanto que acho que até a Elis ouviu lá do céu.
Bjos


Dudu,
Você não tem idéia do tamanho da mordaça que ando colocando na boca do meu ser, se eu deixar que grite tudo que tem vontade de gritar, quebraria muitas vidraças, deixaria muita gente surda e com certeza barrada pela censura.
Me faltam mesmo as respostas... quem sabe um dia!!!
Bjos

Cris,
Aqui não tem chicotinho não, (risos), já t falei que não é coisa de beija-flor... (o sangue ferve sim)
Bjos sua capeta

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin