junho 16, 2008

Tanto Para Dizer...


Pena que por momentos me falte a inspiração, em outros me falta o tempo... ora um, ora outro.
Uma dificuldade de marcar um encontro entre "A Inspiração e o Tempo".
Tenho tantas coisas que gostaria de dizer; onde foi que guardei numa das minhas gavetinhas da mente o texto que pensei em escrever sobre o "Primeiro Amor da Minha Filha"? ... em qual compartimento da mente guardei aquele outro texto para falar da "Mudança de Casa"?... em que arquivo da ente deixei rascunhado o texto "Sobre os Novos Desafios do Trabalho"?
Eram (são) tantos os textos perdidos em meio as minha ideias e pensamentos, que já não sei qual a ordem original de cada um.
Mas, um novo ciclo se aproxima, nem sei por onde começar, talvez eu saiba!?!?!
Lá vou eu... em buscar das realizações daquilo que era sonho e começa virar realidade.

4 comentários:

blog do dudu santos disse...

Tem que dizer logo, além de ser uma ótima reflexão para nós que lemos seus textos, você é a maior beneficiada com esta atitude, põe tudo para fora,inspira sua alma com sua própria alma, exercita a mente , sua alto estima, etc,etc...é uma forma de fazer amor com seus amigos, assim quando faço "arte"também penso em você..
beijos

citadinokane disse...

Bom, depois do comentário do Dudu, só devo ratificar... e acrescentar, abre a porta da vida e entra com vontade, tudo é muito rápido... sério!
Beijos,
Pedro

Mari disse...

É uma terapia abrir as gavetinhas da mente e transformar os sonhos em realidade, aqui no blog...

Bj bela!

Luz dos olhos... disse...

Flor.......
Não precisa buscar inspirações...Você é a própria inspiração.
Nos inspira a nós, seus amigos e admiradores.
Me inspira a ser melhor, maior...a viver meu amor, a ser feliz.
Você inspira os anjos a nos cuidarem.
Você inspira um mundo melhor.
Te amo sempre...

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin