novembro 20, 2008

Peraltagens das Palavras

O menino aprendeu a usar as palavras.
Viu que podia fazer peraltagens com as palavras.
E começou a fazer peraltagens.
Foi capaz de interromper o vôo de um pássaro
botando ponto no final da frase.


(Manoel Barros - Exercícios de ser criança. Rio de Janeiro, Salamandra, 2000.)

São as "peraltagens" das palavras que me encantam. Fazer trocadilhos com elas, o jogo das palavras, o duplo sentido. Fazer travesuras...
Tenho limitações com as palavras, mas adoro brincar com os sentidos que possuem e que na maioria das vezes são vista de outra forma.
As pessoas mais próximas constumam dizer: "Beija-Flor vai ao pé da letra, cuidado com o que diz perto dela."
Que a Emília não leia essa postagem...
No meu trabalho temos a seguinte distribuição 95% de homens e 5% de mulheres (ou menos ainda).
Não bastando, o ramo de atividade da empresa é "Um mundo pra macho", logo, para sobreviver e manter o meu espaço, durante o trabalho uso minha fantasia de "homenzinho", como dizem os meninos do trabalhado: "Lá vem o homem de saias", já Big Boss, diz: "General", isso mesmo, o meu apelido no trabalho é General.
Mas... voltando ao assunto que deu origem ao post, vamos lá.
Convivo com homens o dia inteiro, sou a única mulher que faz parte daquele time, logo um "homenzinho" também (vamos deixar bem claro uma coisa é só pelo ramo de atividade e por conviver com eles e como no trabalho os direitos são iguais é mais fácil assim) e os homens e mulheres sabem muito bem, que homens reunidos falam mais, (e) muito mais besteiras que as mulheres.
O que aprendi nesse mundo de "homenzinho" é que os palavrões, não são palavrões, como posso dizer, palavrões no mundo dos homens são: "Interjeição, O Admirável Ponto de Exclamação!, etc."
No início eu ouvia aquela chuva de palavrões nas nossas reuniões (que são muitas por dia, semana, mês...) eu ficava corada, se graça, deslocada, às vezes um ou outro pedia desculpas, outro dizia: "Menos, olha a General aqui!", claro que essa "dilicadeza" durou pouco, porque um dia Big Boss disse assim: "General, eis o mundo da técnologia e seu dialeto".
O jeito foi me acostumar com o "tal dialeto" e "aguenta" ouvidos.
Não há uma frase que não venha acompanhada de um: "Porra / cacete / merda / caralho ... ", agora a campeã de audiência é (era): Foda-se.
Certo dia (acho que euzinha em plena TPM) numa das reuniões, em que o Foda-se era personagem principal, já não suportando tantos "Foda-se", ironicamente disse: "Então isso é muito bom?! Certo!".
Momento silêncio.... caras de espanto...
Eis que Big Boss diz: "Não General... isso é ruim!"
Ele sabia muito bem, que eu sabia que era ruim, mas já que eu tinha feito a besteira de interromper e como diria Vivente Matheus: Quem Sai na Chuva é pra se Queimar, lá fui eu, firme e forte em defesa do Foda-se, isso mesmo, fui defender o Foda-se, da seguinte maneira: "Não entendo qual o motivo de vocês falarem tanto Foda-se! Pensem bem! Se é Foda-se, só pode ser bom e não ruim." - Claro que a cara queimava mais que brasa, logo pensei: "Agora recebo minha carta de demissão.", depois de alguns segundos de profundo silêncio, a voz de Big Boss, toma conta do espaço: "Não é que ela tem toda razão!" . Ufa!!!
Desde então, o "Foda-se" não é mais usado para as coisas ruins.
Olha gente querida da blogosfera, cabe deixar bem claro que a empresa onde eu trabalho é muito séria, muito correta, o ambiente é ótimo, de muito respeito. Só as reuniões (que em geral são de grande importância) possuem esse clima mais tenso, mas eu adoro meu trabalho e ser "homenzinho" (embora muito viadinho) tem me ajudado a sobreviver com dignidade e garantir o leitinho da filhota.

11 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Eu sempre vou gostar do jeito objetivo de ser dos homens. Acho que por isso não conseguiria mesmo me relacionar amorosamente com mulher, elas dizem abacaxi para entendermos manga! Affe!

As mulheres objetivas são tudo de bom tb! São as mulheres com alma masculina!

Beijocas

Codinome Beija-Flor disse...

Dama das Cinzas,
Você acerot em cheio.
Eu esqueci de dizer que é isso o que eles (povo masculino do trabalho) me falam: "vc tem alma masculina".
Bjos

Menina do mar disse...

Rsrsrsr (:

paula barros disse...

rsrsr interessante o post, melhor ainda as explicações no final.


abraços

citadinokane disse...

Não seria melhor dizer: ame-se!!!

Mas quanta besteira minha, estou fora de órbita, maluco...
bjs

Luiz disse...

Isso tudo que você disse é um retrato do mundo corporativo. Quando a mulher está em desvantagem numérica, acontece exatamente isso. O clube do bolinha sente um certo prazer em proferir palavras e frases da gramática “pirata” pra mulherada. Claro que isso depois de um certo grau de intimidade.
Mas e quando o homem está em desvantagem numérica? Minha Filha! O cara bate o cartão as 18 e tem que cuidar pra não sair rebolando.
Aposto que é você quem faz a ata das reuniões! Entrega pro chefe com um bilhetinho de post it escrito:
- Se não gostou, Foda-se.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Adorei seu post, Beija-Flor! Li de cabo a rabo e ri das suas peripécias na empresa em que trabalha.
Querida, postei o Soneto IV de Shakespeare e algo sobre a ópera Romeu e Julieta de Gounod. Estou à sua espera.
Beijinhos,
Renata

Codinome Beija-Flor disse...

Menina do Mar,
É o que faço, dou muita risada.
Bjos

Paula,
Isso mesmo um homenzinho, mas muito delicado.
Bjos

Pedro,
o "Ame-se" é um "dialeto" que poucos (raros) sabem o sentido e significado.
Bjos

Luiz,
Não sou eu quem faço as atas, se os direitos são iguais faço questão de não fazer o trabalho de secretária, quem cuida da ata é um outro gerente (um HOMEM - risos).
Mas essa tensão é só nas reuniões o ambiente é ótimo.
Bjos

Renata,
Eu tenho uma sorte danada, porque o ambiente é ótimo, nos damos muito bem.
Quase uma família e como em toda família a gente tem dessas coisas.
Bjos

aminhapele disse...

Gostei do seu post,foda-se!
Durante bastantes anos,chefiei um departamento em que havia 3 homens e 18 mulheres.
Garanto-lhe que nunca usámos essa linguagem e nenhum/a era menino/a de coro...
Limitávamo-nos a dizer uns "porra" e merda"...
Enfim,linguagem de local de trabalho!
Um abraço.

Anônimo disse...

amei esse post aí
lol

beijos grandes

(jorge)

Johnny Garden disse...

Minha nossa! Se eu disser que em 15 anos dando aula conto nos dedos as vezes em que falaram algum palavrão em reuniões você acredita?
Nas faculdades geralmente não havia professora, só professores, mesmo assim não usávamos isso.
Esse tal de "mundo corporativo" deve ser muito bizarro. Só vi em filmes, graças a Deus.

Boa sorte

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin