janeiro 12, 2009

A Bravura dos Ventos


Quisera eu ter a bravura dos ventos,
o mistério dos mares e a beleza das flores.
Pudera eu ser o alvo dos teus olhos,
o sono dos teus sonhos e o caminho dos teus pés
para escapar à fúria de todos os ventos.
Ocultar as minhas vontades no mistério
verde de tua ira e pintar o alvo, que eu sou,
por todas as partes e te ver confusa,
difusa por caminhos que não sei.
(Palhaço Poeta - Silvio Afonso)

3 comentários:

Papagaio Mudo disse...

quisera ser uma força da natureza!
seja for qual, veja as cores.

beijos,

GuS

silvioafonso disse...

.


Eu não tenho pressa, mas tempo não tenho agora. Estou pasmo, sem voz, não ouço nada além do som, surdo, destas imagens que teimam, com o seu nome no rodapé, brincar de cabra-cega e pique esconde na retina úmida dos meus olhos. Eu quero voltar, preciso me sentar, respirar e me deixar perder nas espirais desta beleza. Quero e preciso olhar, ouvir e falar do seu trabalho, como um crítico de arte embriagado na beleza dos seus atos.

silvioafonso.






.

Menina do mar disse...

Lindo demais!
beijos

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin