março 27, 2009

Saudade de Mãe

Hoje acordei com saudade danada da minha Mãe, ainda bem que o final de semana vem ai, pra eu ver de pertinho minha Mãe, grande amor da minha vida.

Coloquei o filtro da arte naquela cena comum
E a luz que até então estava escondida
Veio surpreender-me com seu poder de claridade
A mulher simples, mãos calejadas de lida rotineira
Mulher que aprendeu a curar as dores do mundo
A partir dos meus joelhos esfolados de quedas e estripulias
Aquela mulher, minha mãe,
Rosto iluminado por uma labareda que tinha origem no fogão de lenha
Trazia consigo o dom de me devolver a calma
Que a vida tantas vezes insistiu em me roubar
Aquela cena, mulher, fogão de lenha,
Panela preta, escondendo a brancura de um arroz feito na hora
É uma das cenas mais preciosas que meu coração não soube esquecer
Saudade de mãe é coisa sem jeito
Chega quando menos imaginamos:
Um cheiro, uma melodia, uma palavra,
Uma imagem e eis que o cordão do tempo
Nos convida ao retorno a infância,
Como se um fio nos costurasse de novo ao colo
Da mulher que primeiro nos segurou na vida
E agora pudesse nos regenerar
Saudade de mãe é ponte que nos favorece
Um retorno a nós mesmos
Travessia que nos recorda uma identidade muitas vezes
Esquecida, perdida na pressa que nos leva
Saudade de mãe é devolução, é ato que restitui o que se parte,
É luz que sinaliza o local do porto,
É voz no ouvido a nos acalmar nas madrugadas de desespero
E solidão através de uma frase simples:
“Dorme meu filho, dorme”
Hoje, nesse dia em que a vida me fez criança de novo;
Nesse instante em que esta cena feliz tomou conta de mim,
Uma única palavra eu quero dizer
Oh, minha mãe, que saudade eu sinto de você!

(Pe. Fabio de Melo)

10 comentários:

paula barros disse...

A minha, tenho a felicidade, de ver quase todos os dias. Arrego o almoço, o jantar, vou por lá, e a medida que vamos ficando mais maduras estamos mais próximas.

Uma linda e gostosa saudade, aquela que podemos abraçar e beijar.

abraços, achei interessante a imagem.

Tozé Franco disse...

Olá Beija-flor.
Ainda tenho a felicidade de poder ver a minha todos os dias. Tenho de aproveitar bem.
Um abraço.

Yussef disse...

É impressionante como não nos desligamos de nossas mães nunca.
Não importa onde elas estejam.
Acho que é melhor assim, rsrsrsrs
Gostei do teu texto.
Voltarei aqui sempre que eu puder.
Abraços

ลndreia disse...

Mãe é mãe! *

Sonia Schmorantz disse...

A minha vou ver domingo também...ela se prepara para viajar e ficar um mês com minha irmã em Brasilia. Já estou me sentindo orfã...
Lindo poema, menina, muito lindo.
beijos e bom final de semana

J@de disse...

Saudades da minha também...
Muitos beijos na sua que fez você dentre tudo de bom que ela já fez!!
Li tudim viu??
Beijos!!

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Passando para desejar um lindo domingo com um ótimo inicio de semana.
Abraços do amigo Eduardo Poisl

Mariana Silveira disse...

minha mãe também é minha jóia rara.
beijos.

Mari disse...

Flor,

Só posso dizer que minha mãe estará sempre em meu coração...

Bjs

Papagaio Mudo disse...

oi Codenome,

passa lá no papagaio.
bjos,

GuS

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin