setembro 04, 2011

Meu coração, meio flor, meio de aço


"Meu coração, meio flor, meio de aço
Vai achando o seu compasso
Vai cumprindo aos poucos o seu papel
Encontrando seus motivos para amar
Renovando seus motivos pra sonhar
"

(Pe Fabio de Melo)

9 comentários:

Helinha disse...

Ah...

Porque se o coração não fosse de aço, não suportaria tanta dor...

Mas se não fosse tão flor, não saberia renascer e reabrir a cada dia...

Lindo!

Beijos!!

Garota Misteriosa disse...

Não conheço a música, porém sabemos que nem sempre nosso coração ou até mesmo nós, somos 100% de aço, ainda somos frágeis a tudo o que nos circunda, se não fôssemos, não seriamos complacentes com a dor do outro.

Bjokas

Venha me visitar também!

Mari (Pedra de Alquimia disse...

Flor,

Menina flor, saudade, muita saudade de você amiga.

Bj

silvioafonso disse...

.


Ah, o coração...
Caixa preta do meu peito.

silvioafonso







.

Mari (Pedra de Alquimia) disse...

Flor,

Abençoado natal pra você e família.

Grande abraço amiga

Mari

silvioafonso disse...

.


Feliz ano novo. Pensamento
positivo e crença no futu-
ro.
No Espírito Santo o lança-
mento dos meus dois outros
livros foi muito interessan-
te e por que não dizer,en-
cantador...

silvioafonso.






.

Anônimo disse...

Se ainda está vivo este blogue, fica aqui uma ligação:

http://azulinterioridades-florbela.blogspot.pt/

silvioafonso disse...

.



O meu texto de hoje fala
de bondade, de companhei-
rismo e de amor pelo pró-
ximo. O texto cita momen-
to de lucidez, de sonho e
de pesadelo. Portanto, vale
muito a pena conhecê-lo.
Conto com a sua presença
no blog do velho Palhaço.

Um beijo,

Palhaço Poeta









.

silvioafonso disse...

.


Faz tanto tempo, mas tanto
que já nem me lembro. Foi co-
mo uma chuva de verão, não que
tenha passado ligeira, mas che-
gou quando ninguém mais chega-
va e foi embora quando o verde
já brotava, mas secou como as
folhas fora de estação.

Beijos do,

Palhaço Poeta






.

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin