maio 07, 2008

Mãe


Não vou esperar até o domingo para escrever ou falar algo pra você.
Quero escrever agora, em meio ao cansaço e sono, quase uma necessidade de falar com você.
Já é tarde, se eu te ligasse agora, te assustaria.
Deu vontade de dizer o quanto você é especial na minha vida, do tamanho do amor que tenho por você.
Mãe, como é que a gente agradece por ter uma mãe assim? Quem sabe você me dá uma resposta, porque sempre tem todas as respostas para minhas perguntas.
Até mesmo quando eu não pergunto, você me dá as respostas.
Você além de cuidar de mim, tem o dom de cuidar da minha alma, sabe ler em meus olhos, acha neles, minhas alegrias e tristezas. Bobagem tentar esconder de você qualquer coisa, talvez você tenha um ramal direto com Deus, onde Ele te conta tudo sobre mim (e das minhas irmãs também).
Ah! Mãe, temos tantas histórias, ao mesmo tempo que tenho vontade de rir, me vejo chorando de emoção por ter você.
Você diz que sou "maluquinha", porque eu adoro chorar de emoção (sou igualzinha a você nesse ponto, porque você chora até com propaganda de televisão).
Mãe, sou capaz de sentir seu perfume no ar, sempre delicado, suavemente adocicado, como tudo em você é, sempre delicado e com jeito de doçura.
Sabe Mãe, quando eu era criança eu jurava que você era a mulher maravilha, que tinha superpoderes, porque eu não entendia como você conseguia trabalhar fora, cuidava da casa, educava quatro filhas, era esposa dedicada e ainda conseguia ser linda sempre, o tempo passou, eu cresci, agora eu tenho certeza que você é a mulher maravilha.
Continua repleta de superpoderes, esse seu poder incondicional de amar, seu poder de acolher e dizer a palavra mais certa e mais sábia, toda de vez que preciso.
E teu colo Mãe, que sempre me conforta (acolhe) como se eu ainda fosse um bebê.
Toda vez que me vi em apuros, você chegava voando, vinda do céu em seu avião invisível para me socorrer (é assim até hoje).
Cada conquista minha, era uma vitória para você, podia ser a coisa mais simples, para você era sempre algo grande; foi assim quando eu aprendi a andar de bicicleta, quando eu passei no vestibular.
Meu primeiro ano de faculdade foi uma luta, eu trabalhava na Av. Paulista, estudava em Mogi das Cruzes e morava próximo ao Pico do Jaraguá, só mesmo seu café da manhã pra me dar forças para sair de casa as 05h30, e só voltava no dia seguinte a 01h30, foi um ano que só venci, porque você estava ao meu lado o tempo todo, eu só tinha a tarde do sábado e do domingo para estudar, quantas vezes eu acordei com você tirando os livros que estavam por baixo de mim, mas eu consegui a transferência para uma faculdade em São Paulo, com a sua ajuda sempre.
Lembro da sua felicidade quando eu tirei a minha carteira de motorista, afinal eu era a primeira mulher da casa que dirigia, mas era você que me guiava Mãe, lembro quando tive meu primeiro carro, eu pouco dirigia e você teve a coragem de sair comigo pelas ruas movimentadas de São Paulo, não bastando, levava no colo minha filha, eu me recordo que você sentava bem ao centro do banco e me enchia de coragem, e o medo que eu tinha de subir a enorme ladeira da Rua Barata Ribeiro!?! Eu transpirava ao ponto de molhar toda minha camisa e mesmo assim você não me deixa desistir.
Você deixou durante quatro anos sua casa, sua vida, só voltava aos finais de semana, para cuidar da minha filha, só para eu continuar meus estudos e com meu trabalho.
Ah! Mãe, como eu vou retribuir tudo que fez e faz por mim? Nunca vou conseguir.
Tantas coisas aprendi com você, tenho manias que são suas, como por exemplo o jeito de lavar a roupa separada por cores, o jeito de arrumar os armários, de cortar as etiquetas das roupas, manias que quero pra sempre, porque são suas.
Quantos filmes assistimos juntas e chorávamos como bobas, vou te contar um segredo Mãe: Você é e sempre será a minha melhor companhia para tomar vinho branco, acompanhando de queijo, filmes, lágrimas e caixa de lenços.
Quantas vezes ouvíamos as músicas do Roberto Carlos, nosso Rei, como você sempre diz.
Que vontade de saborear sua comidinha, você que nunca perde o costume de fazer sempre o prato favorito de cada filha, e agora dos netos. Minhas irmãs ficam bravas comigo (sempre), porque, sempre quero ovinho frito, mesmo com todas as delícias, que só você sabe fazer.
Seu bolo de mandioca é único na vida.
Mãe, já te falei infinitas vezes do tamanho do meu amor por você, mas nunca será o suficiente, comparado ao amor que você dá.
Mãe, eu vou guardar comigo algumas coisas que ainda tenho pra te falar, porque vou dizer pessoalmente no próximo domingo, mas uma delas posso adiantar.
Mãe, eu te amo.

14 comentários:

Menina do mar disse...

Que Lindo!!!
Adorei, Parabéns!
É engraçado, cá em Portugal o dia da Mãe foi no passado Domingo.
Um beijo pra vc, outro pra sua Mãe.

Dama de Cinzas disse...

Que texto, lindo, cheio de emoção, bem escrito, detalhado! Depois vc diz que não sabe escrever!

Mãe é tudo, gente! Da minha família toda sobrou ela como referência. Gosto muito da minha mãe, sinto falta dela e sei que o carinho e amor que ela me dedica são grandes.

Beijo grande pra vc, que é mãe, pra sua mãe também.

Luz dos olhos... disse...

Amada...
Só por ter se tornado essa mulher escandalosamente linda já retribuiu a sua mãe tudo o que ela fez...
Quando ela te olha, garanto, deve ter um orgulho enorme da mulher que ela é...por ter feito de você o que é.
E sabemos que fará sua menininha uma mulher tão linda quanto vocês duas.
Te admiro a cada dia...te amo dia-a-dia!!

paula barros disse...

O texto lindo, sensível e emocionante.
Você já agradece todo dia sendo a filha que me parece ser e a mãe dedicada e que aprendeu a ser mãe, também percebido pelo que já falou da sua filha.
Parabéns pelo texto, pela mãe, e para você, mãe e filha.
abraços

Emília disse...

Que beleza de mensagem para sua Mãe! (E diz Vc às vezes que não tem talento para escrever. Já não diz isso mais, espero, depois de tantas provas dadas.)
Um beijo grande para sua Mãe, que merece todas as suas palavras e gestos de amor e agradecimento.Um beijo para si por ser uma Mãe que procura ser Mãe como a sua Mãe é.
Felizes Dias da Mãe, sempre!

Verbo Amar disse...

O dom é "ESPECIAL".
Só poderia sair de você.

Parabéns !

FELIZ TODOS OS DIAS DAS MÃES!

bjs

Mari disse...

Sensibilidade Beija-flor,

Parabéns pelo dia, especialmente...

Bjs

Hellen Rêgo disse...

Parabéns pelo Dia das Mães mocinha!!!
bjinhos

Edson Marques disse...

Teu texto me inspirou!

Também falei de colo e de saudade...

Abraços, flores, estrelas!

Nadja Reis disse...

Belo blog! =)

Nadja Reis disse...

Obrigada pela visita ao meu blog! =)

blog do dudu santos disse...

Sempre sensivel, sempre transbordando carinho, parabéns pelo texto, e para sua mãe que é tão especial para seu ser
bjo do artista

citadinokane disse...

Ficam vários beijos, para quem é mãe e para quem não é, mas pretende ser...
Beija, beija, beija-flor...
Beijos,
Pedro

aminhapele disse...

Deixei uma "prenda" para si,no TIROMANTE.
Bom fim de semana.
Um abraço.

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin