janeiro 08, 2009

As Novas do Ano Novo


Tirando a dor insuportável de garganta e dois dedões dos pés estraçalhados, no mais tudo em paz.
Não só o ano é novo, como há novidades novas.
Nesses meus quase 39 anos (falta bem pouquinho) vi algo, nunca visto antes.
Meu pai jogando dominó no primeiro dia do ano, se alguém falasse eu diria que era engano.
Foi uma diversão tamanha para todas nós (irmãs), minha mãe também disse nunca ter visto tal cena antes, enfim, foi uma delícia.
No segundo dia do ano criei coragem e deixei a filhota ir sozinha ao mercadinho que tem bem pertinho de casa, nessa cidade grande e com tanta violência tenho um medo danado.
Mas ela já não é mais uma bebezinha, só que para nós mães de plantão, filhos sempre serão nossos bebezinhos.
De mala quase pronta, ela vai viajar sozinha para Natal - Rio Grande Do Norte.
Como mãe sofre, agora entendo o ditado "Filho criado, trabalho dobrado".
Na verdade não é trabalho, no fundo é a saudade do tempo que a gente ficava juntinho o tempo todo, de pegar no colo aquele pedacinho de gente aparentemente tão dependente de mãe.
Agora é mais fácil ela me pegar no colo, afinal ela é minha bebezinha gigante.
Não faço idéia de como vou suportar 14 dias longe dela.
O ano começou bom, bom demais.
Como diz Pedro Bial: "Saúde e Paz. O resto a gente corre atrás"

3 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

Querida Codine, é assim mesmo os filhotes crescem e levantam voo do ninho... É mesmo assim os tempos modernos... Não quer dizer que concorde com eles... Mas isso é outra História... Um grande abraço de carinho e ternura,
Fernandinha

blog do dudu santos disse...

A minha Luiza esta 20 dias fora, chega terça, confesso que de tanta saudades me tornei uma pessoa triste...a gente tem que começar a desapegar, é a vida, eles vão cada vez mais longe, e nós não saimos do lugar..
bjo do artista....e aguenta!! e se aquente

Menina do mar disse...

Gostei! Gostei muito! E da nova cara do blog também!
beijos

O Que Sou:

Um misto de:
Fracasso e conquista,
Coragem e medo,
Brutalidade e fragilidade,
Vida e morte, mulher e bicho,
Sonhos e pesadelos.
Sou um fio de esperança.

"Um misto de fracasso e de conquista.
Um medo transmutado de coragem.
Tão frágil como a rosa que se avista.
Brutal no cinzentismo da paisagem.
Assim mulher e bicho me retrato.
Mesclando o pesadelo com o sonho.
E vivo de incertezas... e me mato.
Num fio de esperança que reponho."
(Jorge)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin